EUA vão revisar regulamentação para lidar com aumento de lixo espacial

Órbita da Terra está cada vez mais cheia de satélites

| REUTERS *


© Reuters/Joe Skipper/Direitos reservados

Com a órbita da Terra cada vez mais cheia de satélites, uma agência do governo dos Estados Unidos informou nesta sexta-feira (5) que começará a revisar as regras sobre descarte de lixo espacial e outras questões, como reabastecimento de satélites e inspeção e reparo de espaçonaves em órbita.

'Acreditamos que a nova era espacial precisa de novas regras', disse a presidente da Comissão Federal de Comunicações (FCC, na sigla em inglês), Jessica Rosenworcel, após a decisão, acrescentando que as regras atuais 'foram majoritariamente construídas para outra era'.

Ela disse que a FCC precisa 'garantir que nossas regras estejam preparadas para a proliferação de satélites em órbita e novas atividades em nossas altitudes mais altas'.

A FCC também planeja buscar 'novas maneiras de limpar detritos orbitais. Afinal, existem milhares de toneladas cúbicas de lixo no espaço', acrescentou Jessica. A FCC analisará 'o potencial para funções de remediação e remoção de detritos orbitais que ofereçam perspectivas de melhoria para o ambiente de detritos orbitais'.

A FCC está fazendo perguntas sobre manutenção, montagem e fabricação no espaço (Isam), o que inclui coisas como 'consertar e reabastecer satélites e até mesmo montar sistemas totalmente novos em órbita', disse Rosenworcel.

O processo analisará os esforços para transformar materiais por meio da fabricação no espaço e as necessidades do espectro Isam.

'A FCC continua sendo a única agência a licenciar praticamente todas as missões espaciais comerciais que atingem os Estados Unidos', disse o comissário da FCC, Geoffrey Starks.

'Com esse poder vem a responsabilidade de entender as missões que autorizamos e de criar um ambiente regulatório favorável que abra novas portas e ainda proteja contra novos riscos'.

Starks disse que o procedimento 'nos ajudará a construir o registro de que precisamos para entender completamente as tecnologias Isam emergentes, seus requisitos de espectro (e) as implicações dos detritos'.

A FCC disse que o Isam tem 'o potencial de construir setores inteiros, criar novos empregos, mitigar as mudanças climáticas e promover os interesses econômicos, científicos, tecnológicos e de segurança nacional dos Estados Unidos'.

A FCC já está se movimentando para atualizar suas regras de satélite e já havia adotado anteriormente novas regras para ajudar as empresas de lançamento de satélite a obter acesso ao espectro para transmissões 'de veículos de lançamento espacial durante testes de pré-lançamento e operações de lançamento espacial'.

Em novembro, a agência concedeu uma licença experimental à NanoRacks LLC para comunicações com um componente experimental anexado ao segundo estágio de um veículo de lançamento SpaceX Falcon 9 “para demonstrar o corte de metal no espaço'.

*É proibida a reprodução deste conteúdo.

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9.9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE