Emoldurada por morros e Cerrado: conheça a MS-345, rota mais curta para Bonito

A pavimentação da rodovia reduz a distância entre a Capital e destino turístico em 40 quilômetros

| ALINE DOS SANTOS / CAMPO GRANDE NEWS


Morraria emoldura a MS-345, no sentido Bonito a Campo Grande. (Foto: Paulo Francis)

O vidro do veículo vira moldura nos 100 quilômetros da MS-345, também conhecida como Estrada do 21, rota mais curta para quem se desloca de Campo Grande a Bonito. Pela janela do carro, surgem morros e Cerrado, garantindo a beleza da paisagem.

No caminho, ainda há expoentes da economia de Mato Grosso do Sul, o gado nelore e uma pequena plantação de eucalipto. A pavimentação da rodovia, que reduz a distância entre a Capital e Bonito em 40 quilômetros, foi entregue, pelo governador Eduardo Riedel (PSDB), na última terça-feira (dia 2).

Para quem sai de Campo Grande, a viagem começa pela BR-262, são 122 quilômetros até o município de Anastácio, vizinho de Aquidauana. Em Anastácio, o itinerário prossegue por 20 quilômetros da BR-419. Depois, se chega a MS-345, com conversão à direita no cruzamento da via com o posto de combustível “km 21'.

Logo no começo da MS-345, há o aviso que não há posto de combustível pelos próximos 100 km. Na manhã da última quarta-feira (dia 3), o trânsito estava tranquilo, um convite para, literalmente, curtir a paisagem. A vista é ainda mais bonita no trajeto de Bonito a Campo Grande. O asfalto novo garante uma viagem sem trepidações.

A via não tem acostamentos, mas vários pontos de refúgios, sinalizados por placas, onde é possível parar com segurança. Outra placa muito importante é a que limita a velocidade. O máximo permitido é de 80 km/h (quilômetros por hora). O trecho não tem radares, reforçando a responsabilidade do condutor com a segurança dele e dos passageiros.

Portal de Bonito - No caminho, surge Águas do Miranda, distrito de Bonito que leva o rio no nome. Mais procurado por turistas de São Paulo do que por campo-grandenses, a localidade espera que o acesso pavimentado garanta novos visitantes, considerando a possibilidade de “bate e volta' entre a Capital e o distrito.

“Com essa estrada nova, tem muitos visitantes que vão para Bonito, que vem de Campo Grande, Aquidauana, eles estão sempre parando. Mas é tudo muito novo ainda. Eu acredito que até o final do ano ainda vai aumentar. Também não tem mais necessidade de vir de carro alto, antes a estrada era muito ruim', afirma Luíza Cavalheiro Lopes, 34 anos, gerente de comércio ao lado da MS-345.

Ela conta que o asfalto novo também aproximou os moradores do próprio município de Bonito, ao qual Águas de Miranda pertence. Antes, era mais comum se deslocar até Anastácio.

“Para poder ir para Bonito era muito difícil. A gente ia mais para Anastácio. Hoje, não', diz Luiza. O distrito, a 70 km de Bonito, tem estimativa de 700 habitantes. A economia do local é sustentada principalmente pelo turismo. Há dois anos, o distrito tem festival de pesca esportiva.

A terça-feira foi de comemoração dupla para Edivânia Oliveira de Sales, 53 anos. “Foi meu aniversário e ganhei presente, a inauguração do asfalto', diz. Ela mora há 26 anos no Águas do Miranda. “A maioria da nossa clientela é de São Paulo. Em geral, passa quase uma semana. Chegam no domingo e vão embora no sábado'.

Ao lado da MS-345, do lado de Anastácio, obra de um pub avança à espera de mais público. “Vou fazer uma balada. Vou trazer bailão, trazer DJ, dupla sertaneja. Ainda está com a placa de boate, mas vou tirar. Agora, vai chamar Balada Pantanal. Com a estrada, vai chegar um público diferenciado. A gente já recebeu americanos aqui, franceses, portugueses. Passam tudo por aqui indo para Bonito. Eu já disse para uma candidata que a gente vai precisar de aula de inglês, pelo menos uma base. Porque temos que ter condições de atender esse novo público', afirma Dirlene Colman.

Estrada Viva – A pavimentação dos 100 quilômetros da MS-345, que começou em outubro de 2021, teve investimento de R$ 368 milhões. A distância entre Campo Grande e Bonito “encurta' 40 quilômetros na comparação com o caminho mais utilizado: BR-060, passando por Sidrolândia, Maracaju, Nioaque e Guia Lopes da Laguna.

A via foi projetada com dispositivos de mitigação de colisões entre veículos e animais silvestres, dentro dos preceitos do programa Estrada Viva. A rodovia tem 46 passagens para animais, espalhados ao longo do trajeto. No fim da viagem, a 10 quilômetros de Bonito, um quati estava morto no asfalto.

De acordo com a Seilog (Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística), a rodovia receberá cerca condutora de fauna, medida que protege e preserva os bichos. Os túneis estão localizados abaixo da estrada.

Sobre o atropelamento do animal, a secretaria informa que “a rodovia já possui passagens de fauna e o governo do Estado, com o projeto em andamento, vai instalar novos dispositivos (cercas e placas) para conscientização e alerta aos motoristas, de modo a prevenir colisões com animais silvestres'.

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9.9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


ÚLTIMAS NOTÍCIAS





























































PUBLICIDADE
PUBLICIDADE