Costa Rica terá anel viário de R$ 11,4 milhões para tirar fluxo pesado da cidade

Caminhões e treminhões das usinas de cana-de-açúcar terão novo percurso para desafogar trânsito

| GABRIELA COUTO / CAMPO GRANDE NEWS


Pavimentação da MS-223 foi concluída em novembro do ano passado (Foto: Arquivo/Saul Scharmm)

Um pedido antigo da população de Costa Rica, a 326 km de Campo Grande, foi atendido. O anel viário entre a MS-135 e MS-223 vai sair do papel. A reabertura da licitação foi publicada na edição desta segunda-feira (8), no setor de municipalidades do DOE (Diário Oficial do Estado). A previsão de gasto é de R$ 11.448.766,39.

De acordo com o prefeito Cleverson Alves dos Santos, o Delegado Cleverson (PP), o objetivo da obra é tirar de dentro da cidade o fluxo pesado de caminhões e treminhões. Esses veículos acabam danificando o pavimento da área urbana e prejudicando a segurança do trânsito.

“Com o anel viário, os veículos passarão a sair de dentro da usina direto para a rodovia. Serão 12 km passando pelas propriedades rurais, o que ajuda no escoamento da produção', pontuou. A expectativa é a que obra dure seis meses.

Em abril deste ano, o governador Eduardo Riedel (PSDB) visitou a obra da MS-223, que conecta o município até o entroncamento com a Rodovia MS-306, no trevo conhecido como Monarca.

Na oportunidade, ele foi cobrado pela população sobre o futuro da MS-135, única rodovia estadual não pavimentada. A MS-135 liga Costa Rica a Alcinópolis e a BR-359. Ele prometeu que iria contratar empresa para fazer o projeto em seis meses e concluir a obra em 2025.

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9.9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


ÚLTIMAS NOTÍCIAS





























































PUBLICIDADE
PUBLICIDADE